Destaque

Política

Economia

Polícia

Últimas Notícias

Blog do Leandro André

Exemplos de Resiliência

Quase todas as empresas de Guaíba e de Eldorado do Sul foram atingidas pela enchente de maio, direta ou
indiretamente. As inundações destruíram prédios e tudo o que tinha dentro. As empresas que não foram atingidas pelas águas, tiveram redução de receita, tendo em vista que muitos clientes foram atingidos, sem contar os colaboradores e fornecedores. É preciso muita força de vontade e apoio governamental de verdade para superarmos as perdas e voltarmos à normalidade.
Em Guaíba, destaco dois exemplos de força de vontade e superação, entre outros tantos, que servem de
estímulo neste período de reconstrução que estamos vivendo.
A Pizzaria do Ricardo, cujas instalações foram parcialmente destruídas, na Beira, está funcionando a
pleno no antigo prédio, localizado no Bairro Colina, distante do Centro, com a mesma qualidade de sempre. É
preciso enfrentar fila de espera para ser atendido nos finais de semana.
O Quiero Café, empreendimento novo na Cidade, já passou por três enchentes em menos de um ano e sempre
se recupera. Mais uma vez, tudo foi devidamente reconstruído, oferecendo um serviço de qualidade.
Emocionante e exemplar a força e a determinação do empreendedor e de sua equipe.
Eu aplaudo de pé estes empreendedores e suas equipes, assim como tantos outros que estão lutando para continuar. A determinação e a coragem deles fazem a diferença quando se passa por momentos difíceis como
este. Parabéns!

 

Leandro André

 

23 julho 2024

Casa da Mãe Joana

E na séria “Casa da Mãe Joana”, segue a amontoação de pedras e mobiliário urbano misturados no Parque Natural (Área Verde), na margem central de Guaíba, que denunciamos aqui e está repercutindo. O vereador João Collares, que era prefeito quando o Parque foi implantado, se manifestou, na Câmara Municipal, contrário às intervenções sem planejamento na área. Na mesma linha, o vereador Manoel Eletricista destacou a falta de planejamento em algumas ações do Governo.

Resposta da CMPC
Como a Prefeitura de Guaíba citou que a base de concreto no Parque se trata de um projeto em parceria com a CMPC, sem saber explicar ao certo o que seria, questionei a empresa, que enviou a nota que segue.
“A CMPC esclarece que a estrutura instalada no Parque Natural, em Guaíba, faz parte de duas iniciativas sociais, promovidas em parceria com a Prefeitura local e uma associação sem fins lucrativos. O espaço receberá equipamentos para possibilitar a prática esportiva e atividades de lazer – incluindo uma estação para bicicletas compartilhadas. Em breve a empresa divulgará mais informações”.

Nota do Colunista
Para reflexão: estação de bicicleta onde não tem ciclovia, sobre base de concreto localizada bem no meio
do Parque, cuja principal característica é a natureza da margem; e, por fim, a parceria com uma associação sem
fins lucrativos ainda não identificada.

 

Leandro André

2 maio 2024

Descaracterizando o Parque

Em 1993, quando eu estava à frente da Diretoria Municipal de Meio Ambiente, transformamos um depósito de canos com lixão atrás no Parque Natural, conhecido como Área Verde, o lugar mais bonito da Aldeia. A proposta original era oferecer um espaço amplo de contemplação e encontros junto à natureza, onde as pessoas levassem cadeiras de praia para encontros e prosas.

Em Guaíba, assim como acontece no País, o governo foca em anular os feitos do antecessor, ou pega a ideia e faz modificações para chamar de sua. É vergonhoso, mas acontece. Então, neste defeito político, a primeira coisa que fizeram foi tirar a placa com o registro de fundação do Parque Natural. Na sequência, foram colocando pedras, terminaram com o espelho d’agua, depois foram amontoando brinquedos horrorosos, misturando madeira rústica com latão, enfileiraram palmeiras e implantaram uns postes com fiação exposta que servem de monumentos à gambiarra. Agora, decidiram concretar o centro do Parque. E, pasmem, a Prefeitura não soube informar o que será feito.

Questionei a Prefeitura e um dia depois a assessoria de Imprensa informou tratar-se de uma academia ao ar livre (estas que estão se multiplicando pelas praças com emendas de vereadores para ganhar votos). Já, a ex-secretária de Meio Ambiente disse tratar-se de um ponto para bicicletas de aluguel e, ali perto, a construção de banheiros. As fontes da Prefeitura informaram projetos distintos, mas concordaram que se trata de uma parceria com a CMPC. Então, questionei a empresa e estou esperando a resposta.

Resumo da bufa: colocaram uma plataforma de concreto no meio do Parque, somando-se ao amontoado de brinquedos, postes e pedras, mas não sabem o que será feito. É de cair os butiás dos bolsos!

Não dá para elogiar. Enquanto eu comemorava a inauguração da intervenção artística na Escadaria e a reforma no prédio do Museu, surge esta concretada no meio do Parque Natural.

Guaíba segue com o defeito de fábrica: falta de planejamento. Cada um que tem uma ideia mirabolante resolve executar e depois se vê no que vai dar. Dá vontade de jogar a toalha.

 

Leandro André

10 abril 2024

Obras Mal-acabadas

Quem acompanha esta coluna sabe o quanto eu bato na questão das obras públicas mal-acabadas em Guaíba. Trata-se de um defeito cultural que atravessa governos.

Nesta edição, mais um caso absurdo (ver o quadro Reclamações). Na ânsia de pavimentar as ruas com asfalto, a Prefeitura não faz o devido acabamento, colocando o meio-fio antes, deixando uma valeta profunda entre a rua e a calçada.

Uma ação positiva como esta de pavimentação das ruas da Aldeia, que tanto reconhecemos e destacamos, perde força com a negligência. Ruim, isso.

 

Leandro André

 

 

26 março 2024