Que as crianças possam conhecer o afeto em família

0
COMPARTILHAMENTOS
101
VISUALIZAÇÕES

Cheguei de uma viagem de três meses, domingo 13 de fevereiro. Exausto, depois de 23 horas desde seu começo. Antes de dormir, fui olhar a correspondência acumulada que tinha chegado. Tinham vários exemplares da Gazeta Centro-Sul. Peguei um, para ler e desacelerar. Foi de 10 dezembro de 2021. Primeiro admirei a coluna do Leandro André, que listava itens de políticas extrapartidárias necessárias para o cuidado com a cidade. E ao finalizar, lendo a coluna da Cristina, realmente me encantei com o óbvio, que eu também me deixo insensível às vezes, sobre o simples que é grandioso e o que mais importa, o afeto. A coluna chama Dias de Poesia e de Matemáticas… E ali, como em uma melodia, vai listando os encantos de dezembro e sua magia de avaliações e esperanças. O parágrafo que me trouxe a escrever esta coluna foi: “Ao Papai Noel, em cartinha que carrego na alma já faz um bom tempo, peço que proteja todas as crianças, que a vida lhes permita, na riqueza de sua simplicidade, o maior de todos os presentes, que é conhecer o afeto em família… Que tenham sono tranquilo com espaços para sonhos”.

Estava me sentindo intoxicado de notícias áridas… Esta visão da Cristina me fez tão bem que motivou esta coluna, comprometida com o Sim, o Sim a Vida. Fazia pouco tempo, um amigo também me chamava atenção, que as coisas mais valiosas e importantes são de graça. O Amor, por exemplo.

E pelo que acompanho deste casal Leandro e Cristina, vejo que o afeto em família os construiu com solidez. No livro – Guaíba Outra Margem – que o Leandro escreveu, vi detalhes pitorescos e afetuosos das viagens da sua família de origem, ainda descobrindo Guaíba. E tantas colunas que Cristina pratica a gratidão, com sua família de origem e a construída. Fica meu desejo de reforço para que cada um vivencie o afeto, em família, no trabalho, com os amigos… E finalizo ainda com as palavras da coluna da Cristina: “Para nós, gente grande, peço que aprendamos a reconhecer a felicidade nos momentos rotineiros… Cada manhã, de alegria por seguir compartilhando a vida, de entusiasmo e coragem para melhorar o mundo”.

E de presente extra deste casal que transformou o amor recebido em compromisso afetivo com a cidade de Guaíba, fui nas minhas memórias e vi que tive um pai e uma mãe que me deram muito afeto. Adormeci tranquilo, com o coração cheio de gratidão e esperança. Gratidão ao casal. Votos de boa semana! De verdade!

 

Joaquim Mello

joaquim.mello@terra.com.br

Publicado em 18/2/22

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *