Pátria Amada Brasil

0
COMPARTILHAMENTOS
32
VISUALIZAÇÕES

Legítima filha desta nação que um dia foi denominada terra brasilis, considero grandiosa riqueza pessoal ter nascido nesta pátria, lugar feito com gente que veio de toda parte. Alegra-me sobremaneira integrar esse inigualável laboratório étnico e cultural, ser um de seus incontáveis frutos.

O histórico familiar, que considero emocionante, me faz imaginar como teria sido a vida de cada um dos meus ancestrais quando aqui chegaram, o que sentiram nestas novas e desconhecidas terras. Gostaria de dizer-lhes da felicidade que sinto por me permitirem ser brasileira, agradecer-lhes pelas escolhas que fizeram, pela extraordinária parceria etno-cultural que carrego vida afora.

Os avós maternos vieram do Norte da Itália, em busca de uma vida melhor; queriam viver em um lugar que lhes acolhesse sem guerras, onde pudessem trabalhar e construir família em paz. Os paternos eram de nacionalidades distintas: ela veio da França, acompanhando seus pais, que aqui desembarcaram para trabalho temporário no sul do Estado; quando retornaram, a filha já era adulta, tinha se casado e ficou. Ele, o avô, nascido em solo brasileiro, contava com a contribuição de índios, de africanos e de portugueses em sua ampla descendência.

Eis que aqui estou eu, uma brasileira da gema. Cria dessa gente que veio de longe, que aqui encontrou o Sol para dar brilho as suas vidas, que não teve medo do trabalho exaustivo. Que encontrou nos primeiros habitantes destas terras, nos filhos de escravos libertos e de descobridores, o amor que lhes preencheu as vidas.

Vez por outra, porém, em vez de me sentir uma de suas filhas, sinto-me mãe legítima do Brasil. Mexe comigo qualquer comentário pejorativo feito por gente de outros pagos, não permito que falem mal destas terras abençoadas por Deus e bonitas por natureza. Porque o Brasil é meu lugar no mundo, de onde nunca pensei partir.

Para sempre, será a dona do meu encantamento, essa pátria de samba e de carnavais, de florestas e cachoeiras esplendorosas, de futebol e sorrisos.

Legítima brasileira que sou, considero grandiosa riqueza pessoal essa minha nacionalidade. Sou feliz por ter nascido nesta pátria ensolarada, feita com gente vinda de toda parte, agricultores mundiais da esperança e da alegria.

Alegra-me integrar esse inigualável laboratório étnico e cultural, ser um dos incontáveis frutos desse meu Brasil brasileiro. E de conhecer o extraordinário prazer de um bom prato de feijão com arroz.

Cristina André

cristina.andre.gazeta@gmail.com

Publicado em 03/9/21

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *