Oliveiras e Azeites Nobres

0
COMPARTILHAMENTOS
71
VISUALIZAÇÕES

Visitei e curti a Olifeira. Foi uma festa bacana; festão. É preciso melhorar, mas percebi avanços nesta segunda edição em relação a primeira; evoluiu. A população gostou do evento, aproveitando os shows, os encontros, e os azeites de qualidade. Observei muitos visitantes de outros municípios.

Uma das coisas que mais me impressionou foi a quantidade e a qualidade dos azeites produzidos na Região. Degustei todos: pãozinho no potinho e olhinho fechado.

Destaque para os azeites condimentados da Prosperato (Barra do Ribeiro); o da Fazenda Quintana (Mariana Pimentel); e o Nina, primeiro azeite extravirgem com selo orgânico no RS (Rosário do Sul). Adquiri algumas garrafas destes produtos de muita qualidade; muita. Os visitantes compraram bastante; as vendas foram boas.

Nesta onda de boas surpresas, destaco o licor produzido no Alambique Diego Deleski, em Sertão Santana, com vários sabores. Também degustei todos, cada um melhor que o outro.

Descobri, também, que não muito longe do Centro de Guaíba, seguindo em direção ao Sul pela BR-116, tem a vinícola Guahyba Estate Wines, produzindo vinhos de qualidade, com ambiente rural sofisticado para eventos.

A Zona Rural da Região está se destacando com a produção de frutas, sucos, licores, vinhos e azeites de oliva; tudo com muita qualidade. Baita evolução!

Estas festas populares são importantes, principalmente em momentos difíceis pelos quais estamos passando, carregados de notícias ruins, como as consequências da pandemia, guerras, inundações e os intensos ataques de ódio na internet.

 

Justificativa do Evento

Muitas pessoas me perguntam onde estão as plantações de oliveiras em Guaíba para justificar uma Feira Nacional. Segundo a Emater, o Município possui 64 hectares de olivais. É pouco, mas e daí? A justificativa carimbada de “Portal” da Região produtora de oliveiras no Rio Grande do Sul basta, pois o importante é a realização de um evento que gera confraternização e movimenta a economia local. Além disso, os olivais estão se expandido.

 

Sugestão do Colunista

Neste contexto de Olifeira, destaco um fato e deixo uma sugestão. Vamos lá!

Há pelo menos seis décadas, foram plantadas três oliveiras no pátio do prédio que foi utilizado durante muitos anos como o Forum de Guaíba, hoje, Quartel do Comando Regional da Brigada Militar, localizado na esquina da Rua São José com a Serafim Silva, no Centro da Cidade.

As três oliveiras faziam parte do cenário central da Cidade até que a falta de manutenção e a negligência acabaram com as plantas. Atualmente, existe um tronco pintado de branco e uma planta praticamente morta devido a quantidade de erva de passarinho. Triste de ver. Já abordei sobre estas árvores há algum tempo, houve limpeza, mas não teve sequência e o resultado está lá, o quadro da dor.

Sendo assim, sugiro que a Prefeitura firme parceria com a Brigada Militar para que novas oliveiras sejam plantadas no mesmo local, numa demonstração de respeito às árvores que estão destacando o Município no RS e no País. Além disso, ficará a mensagem de que sempre é possível corrigir erros.

Importante ressaltar que a cor das folhas da oliveira é a mesma do fardamento da Brigada Militar. Fica a sugestão deste colunista. E vou além: que se plante oliveiras nos jardins dos prédios públicos.

 

A Praga dos Semáforos

Depois de uma novela dramática que dura mais de um ano, a Prefeitura de Guaíba anunciou que havia concluído processo licitatório para a compra de novos semáforos. Tinha até data marcada para a implantação dos novos equipamentos: 2 de novembro. Só que, aos 45 minutos do segundo tempo, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) constatou irregularidades no processo e trancou tudo. Acredite se quiser, o drama e os riscos no trânsito vão continuar. Sem previsão de solução.

Questionei o secretário de Licitações e Contratos, Marcelo Verlindo, sobre este caso. Ele enviou a nota que segue (entre aspas). Confira.

“Uma empresa entrou com representação no TCE alegando que a licitação não poderia ser global e sim por itens, conforme aconteceu na anterior em que empresas diversas ganharam itens diferentes e na hora da execução alguns eram incompatíveis uns com os outros.

O TCE decidiu de forma cautelar determinar ao Município que não efetue pagamentos à empresa vencedora até análise do TCE. Tendo em vista a decisão, suspendemos o contrato, pois como vamos mandar executar se não pode pagar? Diante disto, solicitei a Secretaria de Mobilidade que estude o Termo de Referência da licitação e se é possível dividir em lotes e em cada lote com itens que sejam compatíveis. Assim, seria uma mistura entre o primeiro edital e este terceiro.

Existe uma guerra jurídica entre duas empresas. A anulação anterior foi provocada pela que ganhou agora, e o pedido de anulação de agora foi feito pela que ganhou anteriormente. Com a adequação em lotes e não mais global se atende as teses das duas empresas.”

 

Eleições 2024

Cleusa Silveira saiu do MDB. É pré-candidata a prefeita de Guaíba. Dois partidos estão no seu radar: PSDB e União Brasil. Daqui pra frente, vamos falar muito sobre eleições municipais. A Tia Alaíde está no aquece.

 

Leandro André

leandro.andre.gazeta@gmail.com

Publicado em 27/10/23

Comentários 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *